Agosto Dourado: a importância do aleitamento materno

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Agosto Dourado é uma campanha que incentiva o aleitamento materno por todo o mundo. Por este motivo, as ações de saúde são voltadas à conscientização sobre a necessidade da amamentação exclusiva, até pelo menos os 6 meses de idade, tanto para o desenvolvimento de bebês e crianças, como também para as mães e até para o meio ambiente.

 

Como surgiu a campanha?

A campanha teve origem em Nova Iorque, entre a Organização Mundial da Saúde (OMS) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) em 1991. A reunião tinha como objetivo acompanhar o nascimento da Declaração de Innocenti (documento voltado para a amamentação) e elaborar ações a nível mundial para conscientizar sobre a causa. 

A princípio, foi pensado em apenas um dia para celebrar a data e posteriormente passou a ser uma semana dedicada  ao tema — a Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM), que ocorre de 1 a 7 de agosto em vários países. Este ano, o tema será “Proteger a Amamentação, uma responsabilidade de todos” destacando os vínculos entre amamentação e sobrevivência, saúde e bem-estar de mulheres, crianças e nações.

A SMAM é coordenada pela Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (WABA), que define um tema a cada ano e promove ações globais mostrando a importância da amamentação para crianças e mães.

A Semana do Aleitamento Materno no Brasil é celebrada desde 1999 e coordenada pelo Ministério da Saúde. Em 2017, foi sancionada a Lei nº 13.435, que institui o mês de agosto como o Mês do Aleitamento Materno e define um tema a cada ano e promove ações globais mostrando a importância da amamentação para crianças e mães.

 

Conscientização

Com frequência, ouvimos relatos de mulheres que sofrem algum tipo de constrangimento ao amamentar em público e, infelizmente, isso ocorre devido à desinformação e ao preconceito estrutural existente em grande parte da nossa sociedade.

O objetivo da campanha é justamente conscientizar a sociedade sobre a importância da amamentação em livre demanda, principalmente nos primeiros seis meses de vida do bebê, e demonstrar que amamentar é um ato natural e que não deve haver nenhum tipo de censura a respeito do mesmo.

Perpetuar a campanha é, portanto, viabilizar ações de promoção e apoio ao aleitamento materno, sendo fundamental para isso que, a cada ano, mais pessoas e entidades passem a divulgar essa causa.

 

 

 Benefícios da amamentação:

A amamentação possui diversos benefícios para a mãe e para o bebê. Entre eles estão:

  • Alimento ideal: o leite materno é composto por água, gorduras, proteínas, vitaminas e açúcares que o bebê precisa para se desenvolver bem e crescer de forma saudável, além de conter anticorpos. Portanto, é um alimento que protege contra infecções, principalmente as gastrointestinais, contra a desnutrição, é de fácil digestão e está sempre na temperatura certa.
  • Segundo a OMS, crianças e jovens que foram amamentados quando bebês, possuem uma menor prevalência de sobrepeso, obesidade e diabetes tipo II.
  • Aumenta a proteção contra problemas respiratórios e alergias.
  • A mulher que amamenta também tem menor risco de desenvolver câncer de mama, ovário e endométrio, assim como menor risco de desenvolver diabetes tipo II e recorrência de enxaqueca no 1º mês pós-parto, se a amamentação for exclusiva.
  • Protege contra leucemia. As crianças amamentadas por 6 meses ou mais, quando comparadas com as que mamam por menos tempo ou não são amamentadas, têm risco 20% menor de apresentar leucemia.
 

Benefícios da amamentação superam riscos de infecção por COVID-19

 

Devido à pandemia de COVID-19, muitas mães estão com receio de amamentar por medo de infectar os bebês com o novo coronavírus. Um recente estudo, feito pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) revela que, até o momento, a transmissão ativa da doença, por meio do aleitamento materno, não foi detectada. Por isso, recomenda-se que mães com suspeita ou confirmação de COVID-19 sejam estimuladas a iniciar ou continuar amamentando seus bebês e crianças pequenas, pois os benefícios do aleitamento materno superam, consideravelmente, os riscos potenciais de transmissão do novo coronavírus.

 

A celebração do Agosto Dourado é fundamental

Mediante todas as vantagens vistas até aqui, esta celebração tem papel fundamental para dar destaque à importância dos bancos de leite e à necessidade do aumento no número de doações de outras mães para que assim, haja um melhor abastecimento destes bancos.

Estas e outras ações de incentivo, possibilitam o auxílio a cada vez mais bebês, principalmente os prematuros, e ajudam a reduzir os níveis de mortalidade infantil, já que o leite materno é um alimento completo para os bebês. 

Ainda segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o recém-nascido que recebe o leite materno, em até uma hora após o nascimento, está mais protegido contra infecções, diminuindo assim, as taxas de mortalidade.

 

O que a amamentação tem a ver com a preservação do meio ambiente?

A discussão trazida sobre do tema é a de que o aleitamento materno é a forma mais econômica e ecológica de alimentação infantil visto que, para a produção e a oferta da alimentação com fórmulas ou leite em pó, é necessário o uso de energia elétrica, combustível para distribuição da água e transporte do produto, uso de materiais de limpeza com produtos químicos (que por vezes, são nocivos ao meio ambiente) e materiais para embalagem que geram cada vez mais lixo. Além disso, muitas vezes estas embalagens têm o mar como destino.

O leite materno é sustentável pois já vem pronto, na temperatura ideal e não precisa de embalagem. Ou seja, não necessita de nenhum preparo, não gasta energia e não gera lixo, contribuindo assim, para a preservação do meio ambiente.

 

Fontes

Ministério da Saúde – Saúde da Criança: Nutrição Infantil Aleitamento Materno e Alimentação Complementar https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_crianca_nutricao_aleitamento_alimentacao.pdf

UNICEFAleitamento Materno https://www.unicef.org/brazil/aleitamento-materno

Saúde BrasilA Importância da Amamentação Até os Seis Meses https://saudebrasil.saude.gov.br/eu-quero-me-alimentar-melhor/a-importancia-do-leite-materno-nos-primeiros-seis-meses-da-crianca#:~:text=O%20aleitamento%20materno%20reduz%20em,reduz%20a%20chance%20de%20obesidade

 Fundação Oswaldo Cruz – Benefícios da Amamentação Superam Riscos de Infecção Por COVID-19

https://www.bio.fiocruz.br/index.php/br/noticias/1963-oms-beneficios-da-amamentacao-superam-riscos-de-infeccao-por-covid-19

Contato